Porque, quando e como demitir um funcionário?

Na vida de um gestor, há quem diga que o momento mais difícil é o de demitir alguém da equipe. Sem dúvidas existem alguns que podem ser os piores momentos para o micro-empresário e vai de cada um lidar com eles da melhor forma possível.

Mandar um funcionário embora, depois de todo esforço para o treinar e adequar aquela pessoa para determinado trabalho é bem complicado. Essa questão é ainda mais complexa quando falamos para micro-empresários, isso porque, compreendemos que em pequenas empresas, o vínculo patrão-empregado é algo bem próximo, muitas vezes até familiar.

Além disso, é indispensável saber que uma demissão gera custos para a empresa, existem diversos encargos trabalhistas que são devidos ao funcionário quando este é demitido sem justa causa. Mas manter um empregado desmotivado ou criando conflitos dentro do empreendimento acaba sendo muito mais custoso.

Por isso, como empresário de um pequeno negócio, é preciso analisar a situação e entender que em alguns casos esta é a melhor (e às vezes a única) forma de continuar no jogo.

Nesse sentido, achamos mais proveitoso dividir o tema em 3 pilares: por que,quando e como você deveria tomar essa decisão.

POR QUE?

Muito bem, para entender o porquê de demitir um ou vários membros da sua equipe é preciso primeiramente pensar nas seguintes duas situações: (1) estou demitindo porque o funcionários está atrapalhando a minha empresa a crescer ou (2) estou demitindo porque minha empresa está com problemas financeiros e devo cortar custos operacionais?

Tendo isso em mente, é possível traçar toda uma estratégia de demissão, e, principalmente, dos próximos passos que o seu empreendimento irá dar.

POQUE O FUNCIONÁRIO ESTÁ ATRAPALHANDO MINHA EMPRESA.

Como dito anteriormente, um funcionário desmotivado ou que cria conflitos dentro da equipe de trabalho influencia toda a produtividade da empresa e acaba por gerar prejuízos para o empreendedor, seja perdendo clientes ou simplesmente não entregando os resultados que se esperam dele.

Nesse sentido, é preciso observar alguns indícios de que está na hora de demitir o funcionário para que você elimine uma das coisas que podem atrapalhar o crescimento da sua empresa.

Os principais indícios podem ser:

  • Falta de comprometimento com os objetivos e metas do dia-a-dia.

Quando o empregado não está preocupado com resultado final de suas atividades, quando chega atrasado ou precisa ser lembrado de suas tarefas demonstrando um desinteresse, temos um problema.

Essas coisas acabam por influenciar todo o ambiente de trabalho e está na hora de uma conversa, se não for solucionado o problema, não há alternativa a não ser a demissão.

  • Conflito com demais membros da equipe.

Um empregado, por mais produtivo e diligente que seja, não pode em hipótese nenhuma criar rixas internas na equipe de trabalho.

Veja, não estamos falando aqui que todo funcionário deve ser o melhor amigo do outro, não é isso. Como seres humanos, desafetos podem e vão acontecer, mas isso deve ficar na esfera pessoal do indivíduo. Quando os problemas pessoais começam a dividir a equipe, a produtividade do negócio irá cair, e é o momento de demitir esse funcionário.

  • Dificuldade para realizar o trabalho (atrapalhando o restante da equipe).

Provavelmente essa é a demissão mais difícil, pois o empregado pode ser esforçado, uma boa pessoa, mas depois de muito treinamento, muita ajuda, ele ainda não consegue realizar o trabalho e acaba sobrecarregando o restante da equipe.

Nessa situação, o ideal é tentar realocar o funcionário para outro setor onde possa ser melhor aproveitado. Se isso não der jeito, a demissão é a única saída para o crescimento da empresa. É difícil mas é necessário.

Quando você demite por alguma dessas razões, você está pensando no melhor para o seu empreendimento. Demitir um funcionário é custoso, mas manter esses tipos de empregados atuando em nome da sua empresa, pode ser muito pior.

O cliente que procura seus produtos ou serviços, quer ser bem tratado, quer atenção, quer produtividade. Apenas um serviço de qualidade é indicado para conhecidos, e é assim que você deve imaginar o seu empreendimento, pelos olhos do cliente.

PORQUE MINHA EMPRESA ESTÁ MAL FINANCEIRAMENTE

Bom, se você está com problemas para fechar a folha de pagamento, se as despesas do seu negócio estão maiores que o seu lucro no final do mês com toda certeza existem problemas estruturais na sua empresa. Seja de logística de venda/prestação de serviço, seja no tamanho da sua folha de funcionários, seja no planejamento tributário ou na sua gestão financeira.

Esses, e muitos outros, são fatores que o empresário e principalmente o micro-empresário deve se preocupar antes mesmo de abrir o seu negócio. Entender como organizar o planejamento tributário da sua empresa e também como treinar e capacitar sua equipe de trabalho para ter bons resultados com uma equipe enxuta e econômica, pode ser o diferencial entre lutar para crescer no mercado e lutar para se manter no mercado.

Nesse sentido, é muito importante que você conheça os benefícios de terceirizar sua contabilidade e receber auxílio de profissionais capacitados para você tomar sempre a melhor decisão empresarial. O contador vai muito além de entregar guias de impostos para serem pagas, o contador é o braço direito do empresário, ajudando na análise dos indicadores financeiros, nas escolhas tributárias e muito mais!

O corte de gastos e um replanejamento logístico é fundamental para reerguer seu empreendimento, mas demitir um funcionário quando sua empresa não vai bem financeiramente pode ser a única forma de continuar no jogo.

Lembrando sempre que a demissão também gera gastos, por isso, é bom se preparar previamente para esses momentos (uma poupança empresarial ou outro investimento) e ter consciência dos próximos passos. Muito pior do que demitir um funcionário é ter que fechar as portas da empresa.

Portanto, podemos passar a próxima questão do texto: Quando, com qual urgência é preciso demitir o funcionário?

QUANDO?

Depois de todo esse explanado sobre os motivos que levam a demissão de um funcionário, você já tem condições de entender qual o nível de urgência de determinadas demissões.

Se a empresa vai mal nas finanças, e a única forma de continuar existindo é cortando gastos e realocando funções e recursos, ora, a demissão é mais que urgente, é caso de sobrevivência.

E claro, nessa situação, apenas demitir o funcionário não irá resolver muita coisa, sempre é preciso pensar além, ver o próximo passo, quais os próximos objetivos da empresa. E para isso, saber quais indicadores financeiros você precisa analisaré fundamental, também já foi elucidado aqui, a importância de uma contabilidade consultiva, que estrutura a empresa para agir sempre dentro da legalidade e a crescer no mercado.

Agora, se a demissão é motivada pelo empregado estar atrapalhando o crescimento da empresa, o momento de demitir depende apenas da vontade que o empresário tem de expandir seu empreendimento. Quanto mais cedo ele tomar essa decisão, e enfrentar essa difícil conversa, menos prejuízo e menos problemas ele terá.

Por isso, tudo vai depender da visão empresarial que o gestor tem, se entender que perder clientes, atrasar atividades, deixar o lucro ir embora é inaceitável. O gestor irá rapidamente resolver a situação.

Restando apenas o mais complicado tópico do tema, quando se decide o motivo e o momento em que a demissão deve ser feita, entra em pauta: Como demitir um funcionário?

COMO?

Com base em mais de 35 anos de experiência no mercado contábil, gerenciando um escritório com vários contadores e vários outros funcionários, a questão de demitir empregados sempre esteve presente.

Por se tratar de um escritório relativamente pequeno, a minha relação com os funcionários sempre foi muito próxima, ora, também não é para menos, passamos horas e mais horas dos nossos dias realizando tarefas e trocando informações. É claro que vínculos são criados e amizades são feitas.

Nesse sentido, a demissão é um momento que nunca fica fácil. Me lembro bem até hoje, da conversa mais difícil que já tive em minha carreira, foi justamente demitindo um antigo colega que trabalhava comigo a mais de 10 anos. Foi realmente muito complicado.

Além dessa experiência, já enfrentei o assunto diversas vezes a ponto de acreditar que consigo entender meus erros e mostrar a melhor forma que encontrei para passar por esse momento.

Bom, aqui vão algumas sugestões:

  • Estabeleça um time coeso

Quando me refiro a um time coeso, estou me referindo a um time unido. Passe segurança para seus empregados, deixe eles perceberem que o chefe é uma pessoa acessível, com quem eles podem contar.

Como gestor, é muito importante saber como motivar a equipe de trabalho e com certeza é satisfatório trabalhar em um lugar no qual você sabe que o empregador irá fazer todo o possível para deixar um ambiente de qualidade e aprazível para o trabalho, isso trará respeito e confiança.

Isso é importante para o momento da demissão porque (se colocando no lugar o empregado) nunca é fácil ser demitido, mas, é menos pior quando é por alguém que você respeita e tem confiança de que tudo que é devido será pago.

  • Conversa cara a cara

Nada de recorrer aos meios eletrônicos para tentar escapar dessa conversa, nada substitui um encontro pessoal com o funcionário. É preciso que a conversa seja pessoal, um gestor precisa encarar os empregados que está demitindo, não só para passar credibilidade e segurança sobre a sua decisão, mas também para que o funcionário entenda corretamente as razões que levaram a essa decisão.

  • Claro e direto!

A “bomba” deve ser lançada logo nos primeiros instantes da reunião, ficar fazendo outros comentários só vai deixar o funcionário mais nervoso e ansioso. Quando ele se sentar na cadeira já diga “me desculpe, mas teremos que te dispensar”.

Faça essa parte do anúncio ser a mais breve possível, deixe claro que essa é a sua decisão e explique os motivos que o levaram a isso, e já trate de dar andamento à conversa sobre os próximos passos da demissão (verbas rescisórias, direitos trabalhistas…).

  • Motivar sua decisão

Com certeza você deve dizer ao funcionário o que motivou essa tomada de decisão. Isso trará um feedback para o empregado dos seus pontos negativos ou se a empresa não vai bem, dando mais um embasamento para ele entender a situação.

  • O que a empresa e o que você farão por ele

Em questão empresarial, é importante já contar com os dados e números em mãos para passar ao funcionário as cifras corretas do quanto lhe é devido a título de rescisão, direitos trabalhistas, como será feito com o plano de saúde/odontológico… Enfim, dar a base legal de como essa demissão será feita.

Já em nível pessoal, se for um bom funcionário e você estiver mandando ele embora pelo fato da empresa não estar bem financeiramente, é interessante se propor a ajuda-lo a ser introduzido em outras empresas, estar disposto a dar boas referências, essas coisas.

Diante de todo o exposto, podemos ter certeza de uma coisa: não é nada fácil essa história de demissão. É preciso pensar em muitos fatores sobre esse assunto e principalmente o próximo passo da empresa.

Por isso é importante saber como a contabilidade trabalhista pode ajudar sua empresa nesse momento. Tratar tudo dentro da legalidade e manter o nível de respeito são fundamentais para um empreendimento dar certo, afinal de contas, mesmo que agora o funcionário esteja sendo demitido nós nunca sabemos o dia de amanhã, e pode ser que essa mesma pessoa vire um parceiro comercial daqui alguns anos, nunca se sabe.

Por isso, sempre tratar o empregado com respeito e atenção, ele é parte fundamental no seu sucesso!

Espero que tenha aproveitado a leitura, e se quiser conhecer mais sobre a contabilidade consultiva e como ela pode auxiliar o crescimento da sua empresa, entre em nosso site ou Facebook e converse com a gente! Tenho certeza que temos um plano de crescimento empresarial que se encaixará com suas metas e objetivos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *